abr 22

O Fim da internet Livre (Senado Brasileiro aprova Marco Civil da Internet )

Projeto já foi aprovado pela Câmara e seguirá para sanção presidencial.
Governo barrou todas as mudanças propostas para acelerar a aprovação.

 

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (22) o projeto de lei que institui o Marco Civil da Internet, considerado uma espécie de Constituição para uso da rede no país. O texto, que foi aprovado no mês passado pela Câmara dos Deputados, não sofreu alteração de conteúdo pelos senadores e seguirá agora para sanção da presidente da República.

O projeto, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores, tramitou por menos de um mês no Senado. A pedido do Palácio do Planalto, os senadores aliados barraram as propostas de alteração sugeridas. Se isso ocorresse, o texto teria que retornar para análise dos deputados, o que adiaria a aprovação.

O governo tinha pressa em aprovar a matéria devido à conferência internacional sobre governança na internet, que será realizada em São Paulo nesta semana. A presidente Dilma Rousseff vai participar do evento nesta quarta e quer levar o Marco Civil como uma das respostas do seu governo às denúncias de que autoridades e empresas brasileiras teriam sido espionadas pela NSA, agência de inteligência dos Estados Unidos.

O projeto, porém, não é recente. Foi enviado em 2011 pelo Executivo à Câmara dos Deputados e só aprovado em 25 de março deste ano após intensa negociação entre parlamentares e Planalto. A chamada neutralidade de rede, princípio considerado um dos pilares do projeto, foi aprovada e passará a vigorar com a sanção da nova lei.

O armazenamento de dados no Brasil, que era considerado uma prioridade para o governo com objetivo de coibir atos de espionagem, não foi aprovado. Essa obrigação já havia sido derrubada pelos deputados para viabilizar a aprovação na Câmara (veja regras abaixo).

saiba mais

 

No plenário do Senado, a aprovação só foi possível porque os senadores aprovaram um requerimento de inversão de pauta, o que levou o projeto ao primeiro item a ser votado nesta noite. Governistas tentaram acordo com a oposição para dar urgência ao projeto, mas não conseguiram consenso com PSDB e DEM.

A oposição não foi contrária ao Marco Civil da forma como está, mas alegou que o Senado poderia “aperfeiçoar” o texto, segundo afirmou o líder do DEM, José Agripino (RN). “Eu quero só um mês para desatar alguns nós desse Marco Civil da Internet”, apelou.

O líder do PSDB, Aloysio Nunes (SP), disse que os senadores tem “um papel a cumprir” na elaboração do projeto e criticou a pressa do governo. “Existe uma disposição do governo de não aceitar nenhuma emenda, estamos proibidos de fazer emenda e, se fizermos, será apenas para constar. Essa é uma atitude autoritária da presidente da República”, criticou.

Por outro lado, a ex-ministra da Casa Civil senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) negou “encaminhamento autoritário”. “Há tão somente uma matéria importantíssima em pauta”, rebateu. “Temos um grande evento acontecendo no Brasil, e é importante que tenhamos uma resposta concreta para regular a internet”, afirmou a petista.

Plenário do Senado durante votação do Marco Civil da Internet (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)Plenário do Senado durante votação do Marco Civil da Internet (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Neutralidade
Aprovada junto no projeto, a neutralidade de rede pressupõe que os provedores não podem ofertar conexões diferenciadas, por exemplo, para acesso somente a emails, vídeos ou redes sociais. O texto estabelece que esse princípio será ainda regulamentado pelo Poder Executivo, para detalhar como será aplicado e quais serão as exceções.

Isso será feito após consulta à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Comitê Gestor da Internet (CGI). As exceções servirão para garantir prioridade a “serviços de emergência” e a qualidade de algumas transmissões, como vídeos ao vivo. Assim, a transmissão de e-mails, por exemplo, pode ter menor prioridade no tráfego de dados em prol de outros serviços.

Críticos da neutralidade dizem que o princípio restringe a liberdade dos provedores para oferecer conexões diferenciadas conforme demandas específicas de clientes e que sua aplicação obrigatória pode encarecer o serviço para todos indistintamente. A proposta não impede a oferta de pacotes com velocidade diferenciada.

Retirada de conteúdo
De acordo com o projeto, provedores de conexão à web e aplicações na internet não serão responsabilizados pelo uso que os internautas fizerem da rede e por publicações feitas por terceiros.

Atualmente não há regras específicas sobre o caso e as decisões judiciais variam – alguns juízes punem sites como o Facebook e Google por páginas ofensivas criadas por usuários, enquanto outros magistrados optam por penalizar apenas o responsável pelo conteúdo.

De acordo com a nova legislação, as entidades que oferecem conteúdo e aplicações só serão responsabilizadas por danos gerados por terceiros se não acatarem ordem judicial exigindo a retirada dessas publicações. O objetivo da norma, segundo Molon, é fortalecer a liberdade de expressão na web e acabar com o que chama de “censura privada”.

Fim do marketing dirigido
Pelo texto aprovado, as empresas de acesso não poderão “espiar” o conteúdo das informações trocadas pelos usuários na rede. Há interesse em fazer isso com fins comerciais, como para publicidade, nos moldes do que Facebook e Google fazem para enviar anúncios aos seus usuários de acordo com as mensagens que trocam.

Essas normas não permitirão, por exemplo, a formação de bases de clientes para marketing dirigido, segundo Molon. Será proibido monitorar, filtrar, analisar ou fiscalizar o conteúdo dos pacotes, salvo em hipóteses previstas por lei.

Sigilo e privacidade
O sigilo das comunicações dos usuários da internet não pode ser violado. Provedores de acesso à internet serão obrigados a guardar os registros das horas de acesso e do fim da conexão dos usuários pelo prazo de seis meses, mas isso deve ser feito em ambiente controlado.

A responsabilidade por esse controle não deverá ser delegada a outras empresas.

Não fica autorizado o registro das páginas e do conteúdo acessado pelo internauta. A coleta, o uso e o armazenamento de dados pessoais pelas empresas só poderão ocorrer desde que especificados nos contratos e caso não sejam vedados pela legislação.

O fim da internet livre chegou estaremos finalizando nosso site no brasil estamos mudando para servidores internacionais  . chegou o AI5 e o comunismo no brasil o próximo e o Facebook.

Fonte : globo.com

 

abr 14

Designer mostra pastores milionários como o próprio diabo

 

 

O designer brasileiro Billy The Butcher atacou de novo. Ele criou cartazes que mostram os pastores evangélicos como o próprio diabo. Ele usou como base a fortuna desses líderes revelada pela Forbes. Tem Edir Macedo, Valdomiro Santiago, Silas Malafaia e R.R.Soares.

 

78

 

219

310

65

}

562

malafaia

Fonte: http://apocalink.com.br/?p=11607#sthash.ZW1xufYA.dpbs

abr 06

O golpe de Estado a caminho

abr 06

Maçonaria faz manifestação contra Dilma

 

 

 

 

Maçonaria faz manifestação contra Dilma
Portando faixas e cartazes, os maçons organizaram neste último sábado (22/03) uma marcha para protestar contra atual situação política, econômica e social enfrentada pelo Brasil. Os maçons defenderam a liberdade de expressão, pediram respeito às leis e ao Poder Judiciário, protestaram contra a corrupção e altas taxas de impostos, solicitaram direitos iguais para todos os brasileiros, entre outras reivindicações. O movimento aconteceu na Praça Getúlio Vargas, no centro de Caratinga.

A marcha foi promovida pelas Lojas Maçônicas Obreiros de Caratinga e Fraternidade Acadêmica de Caratinga. Segundo Marcos Barbosa, venerável mestre da Loja Maçônica Obreiros de Caratinga, outras lojas maçônicas do país também realizaram o movimento para fazer com que a sociedade brasileira reflita sobre a situação do Brasil.

Marcos Barbosa também destacou que a marcha foi apoiada pelas Lojas Maçônicas de Ipanema e Simonésia, e por alguns irmãos de Manhuaçu e das Lojas Caratinga Livre e Filhos da Acácia. Durante o protesto, os maçons também reivindicaram contra uma possível ditadura no país. É o que destacou o conselheiro do Grande Oriente do Brasil (GOB) de Minas Gerais, Eugênio Maria Gomes.

Comentários Desatracado

Criticam o Governo Dilma, mas se calam quanto a sua participação neste (des)governo através de seu ilustre representante Michel Temer como vice-presidente da República, entre outros.

Criticam os desmandos deste governo, mas se calam sobre empresas maçônicas que faturam com estas falcatruas às custas dos impostos do povo.

Criticam a ditadura militar, mas se calam sobre o apoio que deram na época ao golpe e que depois vieram fazer parte deste mesmo governo militar.

Criticam a ditadura de esquerda, mas se calam sobre Troskti, Lênin e um elenco nada modesto de comunistas assassinos serem todos maçons.

Criticam a violência, mas se calam sobre os banqueiros maçons que financiaram e financiam muitos déspotas genocidas pelo mundo.

Criticiam o atual estado moral do país, mas se calam sobre eles serem os principais responsáveis pela relativização da moral, dos costumes, da verdade, da família, de Deus, etc.

Criticam as mazelas da sociedade, mas se calam sobre sua agenda para promoção do casamento gay, da desconstrução dos gêneros e da família tradicional, da promoção da pedofilia, do feminismo, do materialismo, etc.

Criticam a tirania de líderes e reis, mas se calam quando o assunto são as milhares de decapitações nas guilhotinas franco-maçônicas no golpe de estado que aplicaram sobre o povo francês, erroneamente conhecido como Revolução Francesa. De longe, não é o único caso.

Criticam o despotismo, mas se calam sobre terem expulso na ‘calada da noite’ a Família Real do Brasil unilateralmente. Quando o povo brasileiro se deu conta, já era tarde.

Criticam a falta de liberdade, mas se calam de terem expulso a Princesa Isabel que assinou a famosa e comemorada Lei Áurea pelo fato de ela não aceitar conselhos de políticos e cléricos maçons, mas somente de católicos comprometidos. Era católica demais para a trilogia maçônica.

Entenderam agora porque a Maçonaria é secreta ou discreta ? Para que não se fique sabendo desses e muitos outros crimes e barbaridades.

Dizem que cada Loja é independente. Mentira. A Maçonaria é universal e atende a ordens que a maioria destas marionetes nem percebe e nem sabe quem são seus verdadeiros donos. E mesmo se tivessem esta independência, vale lembrar a Palavra de Deus que sabiamente ensina e adverte: “Os gafanhotos, que não têm rei, mas avançam em bandos” Provérbios 30:27

Fonte: nos dia de Noe

mar 29

AI5 – Do PT A censura petista: Críticos do governo, jornalista Paulo Martins é retirado de telejornal; Procuradoria Geral da República aceita pedido de deputada comunista contra Rachel Sheherazade

Censura petista: Críticos do governo, jornalista Paulo Martins é retirado de telejornal; Procuradoria Geral da República aceita pedido de deputada comunista contra Rachel Sheherazade

A censura ditatorial bolivariana do PT bate às portas!
O fim da liberdade já é uma realidade no Brasil!

Além do Marco Civil, ditadura comuno-petista irá perseguir e amordaçar todos que criticarem seu regime também na Tv!
Vejam só…

O jornalista Paulo Eduardo Martins foi retirado da bancada do Jornal da Massa.
Pelo jeito Ratinho não aguentou a pressão dos petralhas… imagine o PT mandar o MST invadir suas fazendas?

Parece que Paulo já sabia que iria ser retirado do programa, e desabafou…

Rachel Sheherazade também está sendo alvo da mordaça comunista…

Procuradoria Geral da República aceita pedido de deputada para investigar SBT

Um pedido de investigação movido pela deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) contra o SBT foi aceito nesta quinta-feira (27/3) pela Procuradoria Geral da República. A parlamentar exige que a concessão da emissora paulista seja reavaliada, por conta dos comentários da jornalista Rachel Sheherazade no “SBT Brasil”.

Apresentadora do SBT será investigada por comentários polêmicos.
Segundo o portal PurePeople, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que os vídeos que mostram a opinião exposta por Sheherazade no jornalístico serão avaliados. “Não se pode pregar contra o Estado democrático. Isso é muito sério. Se você faz um discurso de ódio para a sociedade, não há como controlar o que ocorre depois por aí”, opinou. Procurado por IMPRENSA, o SBT não quis se manifestar.

A deputada justifica seu pedido de investigação dizendo que o SBT também deve ser responsabilizado pelo que ela chamou de “discurso neofascista” da apresentadora. Em fevereiro, Sheherazade foi alvo de críticas por ter comentado em favor de um grupo de pessoas que espancou e prendeu a um poste um adolescente acusado de roubo.

 

Fonte:libertar.in

mar 26

O fim chegou! Marco Civil da Internet é APROVADO na Câmara

 

Após meses de intensas negociações, a Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (25), por votação simbólica, a criação do Marco Civil da Internet, projeto considerado uma espécie de constituição da rede mundial de computadores. Após concessões do governo em pontos antes considerados “cruciais” pelo Planalto, partidos aliados e da oposição retiraram todas as 12 propostas de alteração ao texto que haviam sido apresentadas em plenário.

Até o PMDB, maior crítico ao relatório do deputado Alessandro Molon (PT-RJ), cedeu e se absteve de defender quaisquer modificações na redação. A proposta, que estabelece direitos e deveres de usuários e provedores de rede, seguirá agora para análise no Senado antes de ir à sanção presidencial.

Considerado “prioridade” pelo governo, o Marco Civil da Internet impedia a deliberação de outros projetos de lei no plenário desde outubro do ano passado, já que tramitava em regime de urgência.

mar 21

Sua Internet esta acabando ( Diga Não ao Marco Civil da Internet ) Nossa internet vai ser do mesmo modelo da China

O perigo do Marco Civil

Ontem telefonei para o Disque Câmara (0800 619 619) e admirei-me ao constatar que a telefonista não sabia o que era o Marco Civil da Internet. Nem sequer dispunha de uma estatística das manifestações dos cidadãos sobre essa proposta legislativa (PL 2126/2011). Segundo ela, o Marco Civil não está entre os projetos que mais recebem opiniões do público; por isso, o quantitativo das ligações telefônicas não está prontamente disponível.

É grave saber que o povo, em sua maioria, ignora o perigo que o ameaça. Se estão se comunicando com os parlamentares, não estão usando o canal mais prático e eficiente: o Disque Câmara.

Pretendo escrever melhor sobre o Marco Civil, mas a urgência do tema não me permite permanecer em silêncio.

Como diz o apelido, o Projeto de Lei 2126/2011, enviado à Câmara pela Presidente da República, pretende ser um “marco” na Internet. Não um marco penal, definindo crimes e penas. Por enquanto, apenas um marco “civil”, estabelecendo “princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil”. No futuro, o governo pretende criar o “marco penal”.

O maior perigo do projeto consiste em sua aparente inocuidade. Quem o lê na íntegra, parece não encontrar nada de novo. A proposta seria um “chover no molhado”. No entanto, justamente por isso o Marco Civil requer cuidado. O governo do PT não o teria proposto se não tivesse um propósito bem preciso. Nem o projeto estaria tramitando em regime de urgência (como está), se o Partido nada lucrasse com sua aprovação.

Não é crível que o PT esteja preocupado em zelar pela “privacidade”, “acesso à informação” e “liberdade de  expressão” dos internautas. como aparece no texto. De fato, o PT é, por sua índole, um partido totalitário. Sempre se notabilizou por cercear a liberdade dos dissidentes, por censurar as informações desfavoráveis e por impor a todos sua ideologia. Crer que o PT cuidará para que a Internet seja livre é o mesmo que crer que a raposa cuidará bem do galinheiro ou que o cabrito será um bom vigia da horta.

Para um partido que ostenta em sua logomarca a cor vermelha e a estrela de cinco pontas do comunismo, a Internet certamente é uma ameça. Por meio dela – eis o grande perigo! – o povo pode exercer sua cidadania. Através da rede mundial de computadores, é possível ter acesso a uma notícia que os jornais brasileiros não ousaram publicar: o Ministério Público Federal pediu o bloqueio dos bens de Lula no valor de R$ 9.526.070,64 por improbidade administrativa. A notícia, publicada no jornal português Correio da Manhã (ainda) está disponível para todos.Também é possível ter acesso (ainda) à tramitação da ação civil pública em que Lula figura como réu.

A aprovação do Marco Civil pode ser um passo importante para que a Internet, seu conteúdo e seus usuários fiquem controlados pelo governo petista. Vejamos.

Um dos fundamentos da disciplina do uso da Internet são os “direitos humanos” (art. 2º, II). Para quem não se lembra do 3º Programa Nacional de “Direitos Humanos” (PNDH-3), decretado pelo então presidente Lula com a assinatura da então Ministra da Casa Civil Dilma Rousseff, o PT considera que são direitos humanos: o aborto, a prostituição, o homossexualismo, a exclusão de símbolos religiosos das repartições públicas… Com fundamento no Marco Civil, se aprovado, o governo poderá requerer o fechamento de um sítio que se oponha ao aborto, que defenda a família natural ou que discorde da regulamentação da profissão de “profissionais do sexo”. Tudo isso constituiria uma afronta aos “direitos humanos”.

Outro fundamento é a “pluralidade e a diversidade” (art. 2º, III). Não devemos pensar que tais palavras sejam inocentes. “Diversidade” é um termo usado frequentemente para defender as diversas formas de “orientação” (ou desorientação?) sexual: homossexualismo, bissexualismo, travestismo. “Pluralidade” pode ser usado para designar a proibição de se defender a existência de uma verdade absoluta. Não haveria uma família natural, mas várias “formas” de família, todas elas convencionais, e que deveriam ser igualmente “respeitadas” em nome da pluralidade. Um portal católico poderia ser fechado se a doutrina por ele pregada ofendesse essa “pluralidade”.

O projeto prevê, de maneira ardilosa mas eficaz, a monitoração, filtragem, análise e fiscalização do conteúdo dos dados que transitam pela Internet. Vejamos o parágrafo único do artigo 9º:
“Na provisão de conexão à Internet, onerosa ou gratuita, é vedado monitorar, filtrar, analisar ou fiscalizar o conteúdo dos pacotes de dados, ressalvadas as hipóteses admitidas em lei”.
O que está em negrito é o mais importante: haverá uma lei que permitirá fazer tudo aquilo que o início da frase proíbe.

O projeto obriga o administrador de sistema a manter os registros de conexão (data e hora de início e término de uma conexão, sua duração e o endereço IP utilizado) pelo prazo de um ano, “nos termos do regulamento” (art. 11, caput). Haverá portanto, um “regulamento” sobre o assunto a ser decretado pelo Poder Executivo.

Por ordem judicial, o provedor de conexão poderá ser obrigado, por certo tempo, a guardar os registros de acesso a aplicações (funcionalidades) da Internet (Cf. art. 13, §2º).

Se o conteúdo da Internet trouxer danos a alguém (por exemplo, danos morais ao PT?), o juiz poderá emitir uma ordem para tornar indisponível tal conteúdo. Se o provedor de aplicações não retirar do ar essa matéria no prazo assinalado, poderá ser responsabilizado pelos danos decorrentes (Cf. art. 15). Isso, “salvo disposição legal em contrário” (art. 15). Ou seja, poderá haver uma lei que obrigue o provedor a responder pelo conteúdo antes mesmo que desobedeça a uma ordem judicial.

O Marco Civil pretende de fato ser um marco. Se aprovado, ele abrirá caminho para outras normas regulamentadoras – decretos, portarias, medidas provisórias – todas tendentes a tornar efetivo o controle sobre a rede mundial de computadores. Depois poderá vir a hora do Marco Penal: a criação de figuras penais (crimes) relativas a condutas que possam pôr em perigo a hegemonia petista.

Com a Internet sob controle, o PT terá extinto o último meio do cidadão se defender contra o totalitarismo. O Brasil poderá tornar-se uma nova Cuba, Venezuela ou China.

Para evitar essa tragédia, ligue para o Disque Câmara 0800 619 619
Eis algumas sugestões de mensagem

“Solicito a Vossa Excelência que vote CONTRA o PL 2126/2011 (Marco Civil da Internet).
Motivo: o Projeto ameaça a liberdade de expressão na Internet e prepara o controle totalitário de seu conteúdo”

“Solicito a Vossa Excelência que REJEITE TOTALMENTE o PL 2126/2011 (Marco Civil da Internet). Motivo: o exercício da cidadania pela Internet é ameaçado por esse projeto que pretende controlar a rede”.

“Solicito a Vossa Excelência que diga NÃO ao PL 2126/2011 (Marco Civil na Internet). Motivo: a legislação atual é suficiente para coibir abusos na rede. O projeto tende a instaurar uma ditadura sobre os internautas”.

Assista o Video sobre o Marco Civil da Internet em 2014

 

Fonte:http://naomatar.blogspot.com.br/2012/12/o-perigo-do-marco-civil.html
Fonte:https://www.youtube.com/user/jvgdias

mar 20

A ditadura comunista brasileira já está pronta

Segundo a portaria No. 3641 de 19 Dezembro de 2013 do Ministério da Defesa, ficam criadas as Operações para a Garantia da Lei e da Ordem (OP GLO). Trata-se da maior força repressora que transforma a ditadura militar em agente pacificador.


Na medida em que as pessoas começam a se manifestar de forma espontânea no Brasil, o governo teme que seja instalado um mini parlamento mundial por aqui (Habacuque 2:5). Para evitar que isso aconteça, o governo de “lula e dima “ criaram essa Op Glo juntando as três forças armadas e poderá ser acionada sempre que necessário.

No item 4.4 da portaria fala sobre as principais ameaças ao governo do PT, entre elas estão os distúrbios urbanos. Entende-se por isso qualquer ato contra a ideologia estúpida do governo do PT. Para o leitor que conhece a história do comunismo na Rússia deve se lembrar do que Stalin fez. Esse monstro quando assumiu o poder perseguiu todos os opositores e baniu o sindicalismo.

Um pequeno exemplo disso está no APÊNDICE I ao ANEXO C- 1.2 Aspectos Sociais 1) Movimento Sindical e 5) Religião, por exemplo, se o sindicato não fizer o que o lula quer, ou seja, se transformar em uma instituição com cursos inúteis e prestação de serviços ao capitalismo, a força especial será acionada. Se um grupo pequeno de cristãos se manifestar contra a agenda gay também serão reprimidos. Essa portaria e tão monstruosa que o PT já preparou os médicos militares para atender os feridos ou mortos pela força especial.

Outro agravante da lei está no investimento de técnicas de manipulação através da mídia. Essas terão que divulgar a agenda comunista como algo bom para a sociedade e abafar as manifestações.

Bom..a situação no futuro ficará da seguinte forma: O exército mundial de Baha’u’llah, através do executivo mundial (vulgo anticristo) invadirá o país para instalar o mini parlamento mundial. Agora imaginem a guerra que acontecerá e quando sangue será derramado. Esse plano era para acontecer nos EUA, mas parece que a agenda da nova ordem mundial transferiu para o Brasil.

Se você chegou até esse blog, por favor ajude na divulgação dessa atrocidade do PT.

A portaria pode ser lida no link abaixo:
http://www.defesa.gov.br/arquivos/File/doutrinamilitar/listadepublicacoesEMD/md33_m_10_glo_1_ed2013.pdf

Fonte:Nos dia de noe

mar 16

Termina referendo sobre integração da Crimeia na Rússia

Termina referendo sobre integração da Crimeia na Rússia

crimeia, ucrânia, referendo, adesão, rússia, separação, votação, resultados

Foto: EPA

Às 20h00 locais (às 18h00 GMT), na Crimeia fecharam os colégios eleitorais do referendo sobre o estatuto da península.

Veja as fotos do referendo

Os habitantes da Crimeia foram às urnas para escolher entre a integração na Rússia e uma autonomia alargada dentro da Ucrânia. Do referendo participaram 80% dos eleitores recenseados possuidores do direito de voto.

Segundo sondagens de boca de urna, 93% dos eleitores participantes do referendo votaram a favor da integração da Crimeia na Rússia.

Fonte:http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_03_16/Termina-referendo-sobre-integra-o-da-Crimeia-na-R-ssia-1312/

mar 16

Dilma orienta Defesa a não comemorar os 50 anos do golpe militar

Chefes das Forças Armadas já orientaram a tropa a evitar comemorações no dia 31 de março, interna ou externamente; a preocupação é com os militares da reserva

Os chefes militares já haviam aproveitado as reuniões de seus Alto Comandos, que trataram também das promoções do final do mês, antes do Carnaval, para avisar aos comandados que evitassem qualquer tipo de polêmica sobre o assunto, para evitar choques com o Planalto. Os comandantes das forças já haviam repassado aos seus subordinados a ordem de não serem feitas comemorações fora dos quarteis e nem festejos internamente.

O tema, no entanto, não será deixado de lado pelas Forças Armadas. No Exército, por exemplo, o assunto será tratado por meio de palestra e divulgação de informações para a tropa apenas para que “as novas gerações” não se esqueçam do que chamam de “fato histórico”, contextualizado à época da guerra fria.

O clima na ativa das Forças Armadas, até o momento, é de distensionamento. Não há movimentações para promover atos para exaltar a data, embora existam insatisfações em relação à condução dos trabalhos da Comissão da Verdade. Grande parte dos militares reconhece que houve avanços nos investimentos das Forças durante os governos Lula e Dilma.

Ainda há grande preocupação com o pessoal da reserva. Ainda não se sabe exatamente o que eles poderão promover para exaltar os 50 anos da “Redentora”, expressão que usam para se referir ao 31 de março. Para evitar problemas com estes militares que já estão fora dos quartéis, mas que, quando querem, fazem barulho, os comandos das Forças Armadas fizeram contatos com os presidentes dos Clubes Militar (Exército), da Marinha e da Aeronáutica pedindo moderação nas manifestações. Vários grupos, no entanto, atuam de forma independente e não costumam atender pedidos dos comandantes.

Quem está no serviço ativo não pode se manifestar, por força do regulamento militar. Os da reserva não sofrem tantas restrições, mas também têm de seguir algumas regras e podem ser punidos inclusive com prisão por declarações que forem consideradas ofensivas à presidente da República.

Fonte:http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-orienta-defesa-a-nao-comemorar-os-50-anos-do-golpe-militar,1140999,0.htm

Posts mais antigos «